Marcas legais, Porquê?


Desde os inícios dos tempos que o universo dos metais preciosos tem sido o centro de uma indústria que até aos dias de hoje ainda pauta a economia mundial. 
.
No séc XIII as leis iniciadas com D. Afonso II puniam e condenavam falsificações de artefactos em metais preciosos.
Este controlo passava por marcar com um punção as peças.
Marcas como letras, animais ou figuras eram utilizadas por reis, ensaiadores dependentes, independentes, câmaras municipais, artesãos culminando na atual e vigente Imprensa Nacional Casa da Moeda.
Estas medidas foram tomadas afim de se regularizar e confirmar a legalidade e pureza do material.
.
O que é afinal o "toque" de uma peça? 
Traduz-se pois por a percentagem de metal precioso utilizado na mesma afim de ser possível trabalha-la.
.
Tomemos como exemplo 1 grama de ouro. 
.
Toque de 800 significa que nessa uma grama 80% corresponde a ouro sendo os restantes 20% um material como cobre ou zinco para transferir dureza à peça. (o ouro no seu estado natural é mole, todos vimos em crianças filmes em que o cowboy trinca a peça para verificar se é ouro). 
.
Portugal utiliza no ouro os toques de 999:916;800;750;585;375 ou 24;19.2;18;14;9 quilates respetivamente.
O mesmo processo se aplica à prata, paládio e platina mudando apenas os toques ou quilates de cada um. 
.

 Caso pretenda pesquisar o quadro atual das marcas clique aqui.